A secularização na Holanda vem ocorrendo há anos, e atualmente, o país tem uma das populações com maior número de ateus.

Assim, muitas igrejas históricas têm tido seus templos reutilizados com as mais diversas finalidades.

Diversos templos históricos na Holanda têm servido como espaço para restaurantes, pubs e até bibliotecas. Com o aumento do ateísmo – que hoje chega a 44% da população e se tornou o principal grupo social – esses prédios caíram em desuso com o fechamento das congregações.

Atualmente, católicos somam 28%; protestantes, 19%, muçulmanos, 5%; enquantro outras religiões, totalizam 4% da população no país, que tem 17,1 milhões de habitantes, segundo dados de 2017.

Ao contrário da realidade dos cristãos em muitos outros países, o fechamento das igrejas não se dá por perseguição, mas por falta de recursos, devido ao baixo número de fiéis. Assim, o país que um dia foi um reduto protestante, hoje vê muitas congregações fecharem as portas e seus templos transformados.

“Por lá não são todos os cristãos que vão à igreja regularmente”, observou o portal Criatives, que publicou uma série de fotos de templos reutilizados com diferentes finalidades.

Um exemplo disso é a livraria Selexys, que alcançou grande popularidade entre turistas e ocupa a antiga igreja de Maastricht. Em Amsterdã, capital do país, um templo acabou se tornando uma casa de shows chamada Paradiso e atrações brasileiras já passaram por lá, como o cantor de MPB Seu Jorge.