As 26 capitais brasileiras e o Distrito Federal têm manifestações marcadas para esta quinta-feira (30), contra o contingenciamento de 30% do orçamento dos gastos discricionários para a educação proposto pelo ministro da Educação, Abraham Weintraub. É o segundo ato dos estudantes contra a proposta do governo de Jair Bolsonaro, reiterando as pautas apresentadas no último dia 15 de maio e uma resposta às manifestações a favor das reformas realizadas no domingo, 26.

Até agora, oito capitais já registraram protestos: 

Em algumas capitais os atos aconteceram durante a manhã. Em Brasília, a manifestação aconteceu por volta das 10h e reuniu 15 mil pessoas segundo a Polícia Militar e dez mil pessoas nas estimativas da organização. Estudantes também se reuniram no centro de Salvador para passeata que saiu do Largo do Campo Grande às 10h40 e chegou à Praça Castro Alves por volta das 12h30. A organização estimou 70 mil pessoas participando do ato na capital baiana. A PM não fez estimativa.

No Acre, centrais sindicais organizaram uma manifestação no centro de Rio Branco por volta das 11h e atraíram público modesto, sem contagem oficial. No Piauí, manifestantes se reuniram no centro de Teresina entre as 8h e 11h30 para protestar contra os cortes. Em Maceió, foram cinco mil manifestantes na contagem da PM e dez mil de acordo com os organizadores.

No Sul, estudantes da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) começaram as movimentações em Florianópolis logo no início da manhã, em preparação para o ato marcado para 15h. Em Vitória, no Espírito Santo, as manifestações começaram às 14h30. Em Macapá, estudantes da Universidade Federal do Amapá (Unifap) protestaram contra o contingenciamento de verbas também no início da manhã. A manifestação teve início às 8h e terminou por volta das 13h.

Nas demais capitais as mobilizações estão programadas para o período da tarde e começo da noite. Em São Paulo, a concentração no Largo da Batata estava marcada para as 16h, com o ato, que irá em direção ao vão do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MASP), começando às 17h. No Rio de Janeiro, a concentração na Candelária começou às 15h.

Nas capitais Porto Velho, Boa Vista, Goiânia e Belém, os atos estavam previstos para acontecer às 16h. Já em Porto Alegre, Curitiba e Palmas as manifestações estão previstas para 18h.

UNE (União Nacional do Estudantes) e Ubes (União Brasileira dos dos Estudantes Secundaristas) convocaram atos em 150 cidades do país e no exterior contra os cortes de verbas para a Educação, que atingem as universidades federais e pesquisa. Estão previstos protestos nesta tarde em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

Fonte: https://noticias.r7.com/educacao/manifestantes-voltam-as-ruas-em-protestos-contra-cortes-na-educacao-30052019

30/5/19